ADD579

Viscondessa de Meirelles

Data
1965

Materiais e Técnicas
Carvão e guache sobre papel colado em cartão

Medidas
46 x 39,5 cm

Inscrições
«A. Dacosta
1965»
[frente, canto inferior direito]

Coleção
Col. Francisco Duarte Manoel de Meirelles

Historial
 
Desde a década de 1940 que António Dacosta manteve fortes ligações de amizade com o Visconde, com a Viscondessa de Meirelles (para quem conceberia a capa, a partir de uma colagem (ADD460) para a edição de um conto pela Viscondessa: Maria L. Manoel de MeirellesContos da avó pequim, s.l., 1979) –, com extensão de amizade à respetiva família. Em 1948, Dacosta casava-se na Notre Dame de Paris com Maria Carlota Ana Francisca de Meirelles do Canto e Castro, tendo a própria Viscondessa como madrinha. Apesar do casamento terminar pouco depois, em 1952, António Dacosta manteve sempre boa amizade com a família. Foi no âmbito das visitas de Dacosta a Lisboa, e possivelmente ainda num ou noutro encontro em Paris, que Dacosta foi fazendo retrato da família Meirelles, sobretudo nos anos 60. Elas entram em proximidade, na atitude artística, técnica e na dimensão de afectos dos retratos de familiares e amigos concebidos nas visitas aos Açores na mesma década (a partir de 1964) ou dos Retratos de Miriam e do filho Carlos.
A Viscondessa de Meirelles apoiou Rui Mário Gonçalves na procura de algumas obras para a antologia de Dacosta, que o crítico organizou em 1969 na galeria Buchholz, em cuja inauguração se reencontrariam. 
 



Obras relacionadas