ADP753

Não há sim sem não - O Eremita

Data
1985

Materiais e Técnicas
Tinta acrílica sobre tela

Medidas
97 x 130,5 cm

Inscrições
«A. Dacosta
85»
[frente, canto inferior esquerdo]

«Não há sim sem não - O Eremita»
[verso, quadrante superior esquerdo]

«A Dacosta
85»
[verso, quadrante superior direito]

Coleção
Col. CAM- Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (Inv. 86P128)

Historial
 
Não Há Sim Sem Não – O Eremita enquadra-se numa questão temática amplamente trabalhada pelo pintor: o Tempo. A figura representada do lado direito espelha um tempo de reflexão, de escrita, de silêncio. Neste sentido, pode, inclusive, pensar-se numa auto-representação do próprio artista, sobretudo se tivermos em conta as problemáticas levantadas em torno desta questão e centrais na obra de Dacosta: a nostalgia e a memória. Quer a memória, quer a nostalgia devem ser entendidas como resultado de experiências pessoais: num primeiro momento Dacosta saiu dos Açores e partiu para Lisboa e, em 1947, num segundo momento, partiu de Lisboa para Paris. Por isso, a figura pode ser vista como uma auto-representação de um tempo passado. De certo modo, o tempo futuro é marcado pela caveira que representa a morte e o conhecimento, ou até mesmo um autoconhecimento. Assim, O Eremita reflecte uma condição do homem no mundo, em que morte e vida andam a par: «tentar aprender a morte é o modo mais perfeito de tentar aprender a vida.»* Ou, segundo Dacosta, “Não há sim, sem não”, que por outras palavras quer dizer não há vida sem morte, nem conhecimento sem empenho. Nesta pintura, a morte e o sagrado também estão interligados; a linguagem alegórica e mística, envolvendo a ideia de refúgio e isolamento são próprias de uma vida no eremitério.
 
* Vergílio Ferreira, Pensar, Lisboa, Bertrand, 1992, pp. 266-267.

Exposições
Individuais
Exposição António Dacosta. Biblioteca Pública, Angra do Heroísmo, Açores, Portugal, novembro - dezembro 1987
António Dacosta. Portugal, 23 fevereiro - 08 maio 1988
António Dacosta. Museu de Serralves, Porto, Portugal, 08 abril - 02 julho 2006
António Dacosta - Scène Ouverte. Paris, França, 09 fevereiro - 19 março 2007
António Dacosta 1914 - 2014. Lisboa, Portugal, 17 outubro 2014 - 25 janeiro 2015

Colectivas
III Exposição de Artes Plásticas. Lisboa, Portugal, 20 julho - 31 agosto 1986
Arte Contemporáneo Portugués - Centro de Arte Moderna - Fundação Calouste Gulbenkian. Madrid: Museo Español de Arte Contemporáneo, Madrid, Espanha, fevereiro - março 1987
Portuguese Painting from the 3 Last Decades. Pinacoteca Museum Athens, Atenas, Grécia, dezembro 1988
Tendencies in the Contemporary Portuguese Art. Exhibitions Building Charlottenborg, Copenhaga, Dinamarca, 13 abril - 07 maio 1989
Lá fora: Artistas Portugueses = Abroad: portuguese artists. Exposição itinerante, Portugal, 2008 - 2009
Escola – Obras da Colecção do CAM. CAM, FCG, Lisboa, Portugal, 28 setembro - 19 dezembro 2010




Obras relacionadas