ADPP418

Altar Nave "Em Louvor de..."

Data
1995

Materiais e Técnicas
Ferro

Medidas
Variáveis

Inscrições
Sem inscrições

Coleção
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Açores

Historial
Em 1988 Dacosta efetua os primeiros estudos para o que chamou de escultura-altar de dimensão pública e relativa às Festas do Espírito Santo, culto com particular tradição no arquipélago dos Açores, a colocar em Angra do Heroísmo. Transportaria esses estudos na sua última viagem a Angra, referindo-o a alguns amigos locais. A peça foi pensada no rigor de uma dimensão física concreta: «O local escolhido, Corpo Santo, teria de ser mais ou menos elevado de forma a que a parte alta, se não todo o monumento, se torne visível do mar e da beira da Alfândega»; mas também uma dimensão simbólica: «Este monumento guarda em si uma dupla memória: a da nave de uma igreja e a de uma nave de navegação. Caravela em terra, por assim dizer». (Bernardo Pinto de Almeida, «Uma ideia de António Dacosta. Em louvor da Vida – A Riqueza de muitas leituras», com notas de António Dacosta; depoimentos de José Aurélio, Diogo Infante e Bernardo Pinto de Almeida. In Diário Insular, 3-4 junho 1995).
Foi postumamente que se decidiu realizar esta obra. A ideia para se avançar com o projeto teve o apoio de vários amigos de Dacosta de Angra do Heroísmo (ver, por exemplo, a sugestão Álvaro Monjardino, «Três Notas Sobre o Património Cultural». do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Volume XLIX, 1991, pp.493-510). Foi escolhido o arquiteto Sérgio Infante e o escultor José Aurélio que desenvolveram o projeto a partir de esboços de António Dacosta. Instalado na falésia do Cantagalo de Angra, o monumento seria inaugurado em 1995, no dia do Espírito Santo, misturando-se o evento com os festejos religiosos locais, acompanhado de palestras e de uma exposição de Dacosta em Angra.
 
 



Obras relacionadas